ecoprint usada (3).JPG

QUEM SOU

 

Nasci próximo a fronteira com o Uruguai, onde invernos rigorosos eram passados em frente ao fogão à lenha, onde avós e tias lidavam com as boas e finas lãs gaúchas e ou adquiridas no país vizinho.

Casacos e cobertas eram feitas em tricô, técnica que me encantou desde a mais tenra idade e por insistência e perseverança, após aprender a manusear agulhas e fios, já aos seis anos fazia roupas para minhas bonecas e  até para mim mesma.

Aos nove anos vendi minha primeira peça feita sob encomenda.

Sob a batuta de boas mestras na escola que estudei, fui aprendendo a criar e dar forma ao que minha imaginação deliberava com texturas, cores e fibras. Sempre fiel a lã, que foi meu berço, esta vivência permeou e determinou minha conduta de vida muito além do material e com ela fui modelando e aprendendo minha profissão.

Na adolescência, outra vez guiada pela intuição, comecei espontaneamente a estudar naturismo e vegetarianismo em livros compartilhados por amigos. Ali fui conhecendo o mundo natural e este conhecimento me trouxe a reverência à vida e o respeito profundo a todos os seres o qual sempre foi o fio condutor de minhas ações.

Ao longo do caminho outras  pessoas, outros mestres me acompanharam e passaram lições não só na área têxtil, como o fiar e  tingir  lãs ou algodões,  como a ancestral técnica de Patchwork, mas também na área espiritual, e em todas as coisas que foram de suma importância para minha formação como tecelã, designer têxtil, artesã, artista, naturalista ambientalista e também na culinária natural, área que atuo desde criança.

 

PRÊMIOS E MATÉRIAS

Prêmios:
 

  • 2020 – Prêmio de Reconhecimento por Trajetória Cultural Aldir Blanc, conferido pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC).
     

  • 2020 – BID (Bienal Ibero-Americana de Design) – Exposição e menção honrosa pelo trabalho “Marea“, vestido em tecido com técnicas de Ecoprint e reuso de redes de pesca.
     

  • 2018 -BID (Bienal Ibero-Americana) em Madrid – Menção Honrosa. Projeto “Águas Limpas”, esponjas para limpeza ou esfoliação corporal feitas com redes de pesca recicladas.
     

  • 2017 – 31º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira – Menção Honrosa. Coleção de tecidos “Bem Brasil”, feitos com redes de pesca recicladas, pedras brasileiras, miçangas de casca de coco e sementes.
     

  • 2016  – 30º Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, na área Têxtil com a peça Tapete Oceano, todo confeccionado com redes de pesca recicladas.
     

Matérias: