• Nara Guichon

Agir em prol do meio ambiente: pequenas ações que podem mudar o mundo

Pode parecer um pouco excêntrico o motivo pelo qual, em março de 1978, acabei comprando um pequeno pedaço de paraíso no sul da ilha de Santa Catarina.


Lembro-me que, ao adentrar a propriedade e parar na varanda da singela casa, deparei-me com um chão coberto por grandes borboletas azuis. Ao redor pude ouvir o estridente som das cigarras, uma sinfonia tão alta que mal podíamos conversar .Contemplei maravilhada aquela cena que jamais sairia de minha memória.


Hoje, quando vejo uma borboleta perdida na vegetação, é para mim um verdadeiro acontecimento. Percebo que a mata ao redor está cada vez mais silenciosa e que a natureza, como um todo, vem perdendo seu colorido. Mudanças climáticas, desmatamento, poluição e inúmeras outras ações são responsáveis por este cenário que nos coloca em estado de alerta.


O planeta Terra no vermelho


A natureza está mudando. Quando olhamos o mundo ao redor percebemos que os ciclos naturais não são os mesmos de antes. O clima, a fauna e a flora sofrem o impacto do chamado antropoceno – primeira era do planeta Terra a ser causada pela presença do homem.


Na última segunda-feira, 29 de julho, foi estabelecida a data limite para o uso dos recursos renováveis do planeta. Este índice é medido desde os anos 70, e compara a relação entre consumo e renovação de bens comuns como o ar e água pura, variedade biológica de plantas e animais, fertilidade do solo, dentre outros.

Educação ambiental como modo de mudar a vida no planeta. Foto: Unsplash.

Os cientistas tiveram uma surpresa desagradável. A data foi atingida bem antes do que imaginado. Isso significa que daqui em diante, tudo o que consumimos estará além da capacidade do planeta de se renovar.


Segundo os estudos realizados, para manter o mesmo padrão de consumo atual, seria necessário usar 1,75 vezes todo o planeta Terra. Ou seja, gastamos mais de um planeta inteiro graças ao consumismo desenfreado e a falta de respeito com a vida.


Esta notícia alarmante serve como forma de chamar a atenção da população mundial para uma mudança urgente de hábitos. É fato que o planeta não suportará muito tempo nosso comportamento destrutivo e as próximas gerações herdarão um nível de dano ambiental praticamente irreversível.


Pequenas ações com grande impacto positivo


Diante destes dados, temos dois caminhos a seguir: desistir e abandonar nosso destino nas mãos das grandes empresas até o esgotamento total dos recursos naturais, ou desenvolver uma nova consciência sobre nossa presença na Terra e agir agora. Acredito sempre na segunda opção.


As grandes mudanças sociais começam em pequenas ações. Cada passo dado em direção a novos hábitos representa uma nova etapa para uma sociedade mais justa e harmoniosa.

Nem sempre é fácil mudar drasticamente de hábitos. De maneira geral, todo início é desafiador, e passada a fase de adaptação e implementação de novos costumes, podemos descobrir o quão gratificante, enriquecedor e surpreendente tais mudanças podem ser.

Como funciona uma composteira doméstica. Foto: Ecoeficientes.com.br

Compostagem


A compostagem já foi uma coisa exclusiva de quem vivia em áreas rurais. Hoje é perfeitamente possível fazer compostagem em qualquer tipo de residência, desde casas com quintais até apartamentos. Para cada tipo de residência há um estilo certo de compostagem.


As vantagens do método são muitas. Primeiro você irá mudar o jeito como lida com seus resíduos. Se você mora numa cidade com coleta seletiva, fazer sua compostagem caseira facilitará muito a vida dos catadores de materiais recicláveis. Pouca gente sabe, mas os resíduos orgânicos são os grandes vilões para o total aproveitamento de caixas de papelão, latinhas e garrafas PET.


O ideal é que você disponibilize para reciclagem apenas resíduos secos. Cascas de legumes, restos de alimentos e demais resíduos orgânicos podem ser transformados em terra rica em nutrientes, perfeitas para alimentar um jardim ou mesmo uma pequena horta.


Se você vive num lugar com quintal, pode seguir os passos deste tutorial sobre como criar um canteiro de compostagem simples, higiênico e eficiente. Criar uma composteira ao ar livre tem a vantagem de manter vivo o ciclo de alimentação dos pássaros.

Motivos para fazer compostagem. Fonte: Eureciclo.

Se você vive num apartamento, o processo será mais limitado, mas mesmo assim você terá a satisfação de produzir adubo para suas plantas caseiras ou quem sabe para uma horta de vaso. O ideal é pesquisar o melhor modelo de composteira. Neste site e neste você encontrará alguns modelos de qualidade.


Gosto sempre de pensar na cadeia de benefícios que qualquer ação em prol da natureza gera. Ao implementar uma composteira, não serão as plantas as únicas beneficiadas. O solo enriquecerá com nutrientes, o nível de umidade aumentará. Neste ambiente, minhocas e larvas proliferam, se tornando alimento para os pássaros, que logo semearão árvores e disseminarão a vida. Sem contar na alegria de suas algazarras sonoras. A vida em volta explode harmoniosamente, graças a um ato tão simples e básico, mas de importância imensurável.


O que é da terra deve voltar para a terra. Simples assim.


Plantar árvores


Já falei sobre a importância do plantio de árvores e de como uma ação tão simples pode causar um importante impacto positivo em nossa sociedade.


Uma das ações de grande importância é o plantio de árvores nativas daquelas regiões. O plantio pode ser feito em praças, bosques, jardins e até mesmo na beira das estradas e ruas. Associações de preservação ambiental como a SOS Mata Atlântica e a Apremavi são ótimos pontos de apoio para quem deseja aprender mais sobre o assunto.

Uma pequena muda pode transformar milhares de vidas. Foto: Unsplash.

As atividades locais também são muito importantes. Associações de bairro, condomínios e qualquer tipo de iniciativa social podem estimular atitudes como a distribuição de sementes e mudas, o cuidado com parques e praças ou ainda promover ações educacionais de conscientização ambiental.


Um outro motivo para se plantar árvores é a saúde e a plenitude mental. O contato com a terra, a compreensão da delicadeza, o cuidado – tudo isso nos proporciona novas maneiras de renovar nossos laços com a natureza.


Promover a igualdade social


Diversos estudos apontam, unanimemente, que a igualdade social está diretamente ligada a um melhor uso dos recursos naturais. Quanto mais justo e igualitário economicamente é um país, mais ele preserva a natureza e cuida de seu patrimônio humano e ecológico.

Não há como promover desenvolvimento social sem o cuidado ambiental.


A dignidade humana caminha de mãos dadas com o respeito pela natureza e todas as formas de vida.

Hortas comunitárias já fazem parte da realidade de diversos países. Foto: Unsplash.

Valorizar e participar de ações comunitárias, optar por adquirir produtos artesanais e orgânicos, produzidos por trabalhadores de sua região – eis alguns passos simples para incentivar a justiça social em sua região.


Do mesmo modo é importante valorizar as manifestações culturais, em especial aquelas que dialogam com o meio ambiente e que promovam igualdade social. Grupos de debate, trabalho voluntário em asilos, escolas ou com pessoas em situação de rua – tudo isso são formas de dignificar a pessoa humana e promover o bem-estar social.


Alimentação consciente


O que comemos também forma nosso caráter e representa nosso ponto de vista sobre a sociedade. Não é por acaso que uma das ações mais transformadoras da vida de qualquer pessoa preocupada com o planeta é mudar seus hábitos alimentares.


A discussão ética é muito complexa, mas seja você onívoro, vegetariano ou vegano, o mais importante é saber a origem de seus alimentos. De nada vale uma dieta vegana , baseada apenas em produtos industrializados, criados sem nenhuma moral ambiental.

Uma alimentação rica valoriza o produtor local. Foto: Unsplash.

Costumo dizer que a todo momento estamos votando. Votamos, mesmo que inconscientemente, por uma sociedade mais igualitária quando compramos alimentos produzidos organicamente e de nosso entorno. Ou votamos apoiando ações de grandes conglomerados industriais, como Monsanto, Bayer e outros. Afinal, comer é um ato político.

Conclusão


Cada pequeno passo vale mais do que a inércia. Cada ação em direção de um mundo mais justo será de grande peso no futuro do nosso planeta. Consumir de modo consciente, estimular ações de valorização da vida humana e respeitar o meio ambiente são temas que podem fazer parte de nosso dia a dia. Basta se informar e praticar.

 

Aprenda hoje mesmo a técnica de impressão botânica Ecoprint com o meu exclusivo curso online. Descubra como utilizar flores, folhas, raízes e outros elementos naturais para criar estampas em tecido. Um método 100% natural, sem aditivos químicos e com total respeito ao meio ambiente. Saiba mais aqui.

52 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo